Busca

Agora Coletivo

Notícias e informações sobre os projetos artísticos do Agora Coletivo

Agora como funciona

Cartografia funciona assim: você vai ao saguão do Teatro Guaíra (Curitiba-PR) levando o seu rádio FM e seu fone de ouvido. Só lá você vai conseguir sintonizar a nossa rádio, que emite ondas de curto alcance.

Aí você vai acompanhar uma narrativa em áudio enquanto é convidado a olhar para o espaço público através dos vidros.

O que se passa lá? A vida, a cidade, as pessoas ocupando o espaço conforme o modo que acreditam precisar dele, talvez uns artistas intervindo ali, talvez isso seja coisa da sua cabeça pois-o-povo-é-louco-mesmo-e-isso-super-acontece-o-tempo-todo, definitivamente uns artistas intervindo ali, definitivamente este povo é louco, definitivamente nada disso faz sentido, definitivamente as pessoas procuram sentido em tudo e ocupam os espaços conforme o sentido no qual acreditam, definitivamente o-que-se-passou-e-como-há-de-terminar, definitivamente?

Programe-se: apenas dias 20 e 21 de fevereiro (terça e quarta) às 15h e com entrada franca.

LEMBRE-SE DE LEVAR O SEU RÁDIO (pode ser um player ou mesmo seu celular se ele tiver captação de ondas FM).

O acontecimento integra a programação da Bienal Internacional de Curitiba em seu Circuito de Galerias. É um dos fragmentos da Obra em Progresso, projeto que dialoga com o livro Finnegans Wake de James Joyce e que já apresentou as performances Streaming (via Facebook) e Sobreposição (na Airez Galeria). Cartografia dá segmento à pesquisa de formas de relação com o espectador através de outras utilizações de espaços e dispositivos.

Concepção e criação: Ana Ferreira

Artistas infiltrados no espaço público: surpresa!

Artistas convidados para a narração em áudio: também!

Produção: Ana Rivelles

Foto de divulgação e arte gráfica: Guilherme Zawa

Realização: Agora Coletivo, Airez Galeria e Bienal Internacional de Curitiba.

Apoio: Centro Cultural Teatro Guaíra

___

Now how it works

Cartography works like this: you go to the lobby of Guaíra Theater (Curitiba-Brazil) taking your FM radio and your headset. Only there you will be able to tune our radio, which emits short-range waves.

There you will follow an audio narrative while you are invited to look at the public space through the windows.

What’s going on there? Life, the city, the people occupying the space according to the way they think they need it, maybe some artists intervening there, maybe that’s your head cause-people-is-crazy-and-that-happens-all-time, definitely some artists intervening there, definitely this people is crazy, definitely none of that makes sense, definitely people seek meaning in everything and occupy the spaces according to the sense in which they believe, definitely what-has-gone-and-how-it-ends definitely?”

Make your plans: only on February 20 and 21 (Tuesday and Wednesday) at 3:00 p.m. and with free admission.

REMEMBER TO TAKE YOUR RADIO (it can be a player or even your cell phone if it has FM wave pickup).

The event is part of the International Biennial of Curitiba in its Circuit de Galleries. It is one of the fragments of the Work in Progress, a project that dialogues with James Joyce’s Finnegans Wake and has already presented the performances Streaming (via Facebook) and Overlay (at Airez Gallery). Cartography gives segment to the research of forms of relation with the viewer through other uses of spaces and devices.

Conception and creation: Ana Ferreira

Artists infiltrated in public space: surprise!

Artists invited to audio narration: too!

Production: Ana Rivelles

Publicity photo and graphic art: Guilherme Zawa

Initiative: Agora Collective, Airez Gallery and International Biennial of Curitiba.

Support: Guaíra Theater Cultural Center

Anúncios

Agora é Cartografia

Cartografia é um acontecimento artístico que se volta ao público e seu espaço. No saguão do Teatro Guaíra, os espectadores são convidados a assistir as cenas do espaço público ao mesmo tempo que escutam uma narrativa em seus fones de ouvido. Eles fruem a paisagem urbana em seu movimento espontâneo e também por meio das intervenções de artistas infiltrados. O áudio acompanhado fornece chaves para relações de atenção.

Aqui, o espaço público é campo de observação pela disputa por mais espaço e por mais público. Cartografia, como obra de arte, percebe a si mesma como partícipe da competição. Então, a busca é por desconstruir os modos usuais de concorrência por atenção que estruturam um imaginário coletivo e formas da percepção.

O acontecimento integra a programação da Bienal Internacional de Curitiba em seu Circuito de Galerias. É um dos fragmentos da Obra em Progresso, projeto que dialoga com o livro Finnegans Wake de James Joyce e que já apresentou as performances Streaming (via Facebook) e Sobreposição (na Airez Galeria). Cartografia dá segmento à pesquisa de formas de relação com o espectador através de novas utilizações de espaços e dispositivos.

Para participar, cada espectador deve trazer seu fone de ouvido e dispositivo de captação de rádio FM (como player ou celular).

  

CARTOGRAFIA

 Concepção, texto e direção: Ana Ferreira

Elenco infiltrado no espaço público: surpresa

Foto de divulgação e arte gráfica: Guilherme Zawa

Realização: Agora Coletivo, Airez Galeria e Bienal Internacional de Curitiba

Apoio: Centro Cultural Teatro Guaíra

 

Serviço:

Data: 20 e 21 de fevereiro

Horário: 15h

Local: Saguão do Auditório do Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto do Teatro Guaíra (o Guairão).

Entrada franca.

___

Now it’s cartography

Cartography is an artistic event that turned to the public and its space. In the lobby of the Guaíra Theater, spectators are invited to watch the scenes of public space while listening to a narrative in their headphones. They enjoy the urban landscape in their spontaneous movement and also through the interventions of infiltrated artists. Accompanied audio provides keys to the attention.

Here, the public space is a field of observation for the dispute for more space and more public. Cartography, as a work of art, perceives itself as a participant in the competition. So the search is for deconstructing the usual modes of competition for attention that frame a collective imaginary and forms of perception.

The event is part of the International Biennial of Curitiba in its Circuit de Galleries. It is one of the fragments of the Work in Progress, a project that dialogues with James Joyce’s Finnegans Wake and has already presented the performances Streaming (via Facebook) and Overlay (at Airez Gallery). Cartography gives segment to the search of forms of relation with the viewer through new uses of spaces and devices.

To participate, each viewer must bring their headset and FM radio pickup device (such as player or cell phone).

Free entrance.  

CARTOGRAPHY

Conception, text and direction: Ana Ferreira

Infiltrated cast in public space: surprise

Publicity photo and graphic art: Guilherme Zawa

Initiative: Agora Collective, Airez Gallery and International Biennial of Curitiba

Support: Guaíra Theater Cultural Center

 

 

Date: February 20 and 21

Time: 3:00 p.m.

Venue: Hall of the Auditorio Bento Munhoz da Rocha Netto of the Guaíra Theater (the Guairão).

Agora é arte sobre arte

O artista visual Assis Garcez criou estas imagens a partir de registros da nossa performance Sobreposição, parte da Obra em Progresso.

 

Sobreposição contou com um elenco surpresa: Sau Buenos (de Curitiba) e Kamila Demkova (dos EUA), aparições performativas em uma obra que tematiza a fantasmagoria da história.

Agora, Sobreposição se destina ao seu próximo passo performativo: historicizar a si mesmo, tornar-se fantasma. Em breve, mais sobre isso.

____

Now, it’s art over art

The visual artist Assis Garcez created these images from pictures of our performance Overlay, which is part of the Work in Progress

Overlay had a surprise cast: Sau Buenos (from Curitiba) and Kamila Demkova (from the USA), performative apparitions in a work that thematizes the phantasmagoria of history.

Now, Overlay heads for its next performative step: historicizing itself, becoming a ghost. Soon, more about that.

Agora é Sobreposição

Sobreposição

Fragmento da Obra em Progresso

Sobreposição é uma performance que investiga camadas históricas. Nas paredes da Airez Galeria e no espaço público ao redor, a artista Ana Ferreira projeta imagens de sua busca por algo remoto em sua própria história. Entre escavar e projetar, transformam-se origens e fins.

A performance é parte da Obra em Progresso que dialoga com o livro Finnegans Wake de James Joyce.

Quem:

Concepção, criação e performance de Ana Ferreira.

Colaboração criativa e arte gráfica de Guilherme Zawa.

Quando:

1o de dezembro (sexta-feira) às 21h00.*

Onde:

Airez Galeria – Rua Treze de Maio, 778, Sala 15 – Curitiba, PR.

Quanto:

Entrada gratuita.

*Coquetel servido a partir das 20h30.

___

Now, it is Overlay 

Overlay

Fragment of the Work in Progress

Overlay is a performance that investigates historical layers. On the walls of Gallery Airez and the surrounding public space, the artist Ana Ferreira projects images of her search for something remote in her own history. Between digging and projecting, origins and ends are transformed.

The performance is part of the Work in Progress that dialogues with James Joyce’s book Finnegans Wake.

Who:

Conception, creation and performance of Ana Ferreira.

Creative collaboration and graphic art by Guilherme Zawa.

When:

December 1st (Friday) at 9:00 p.m.*

Where:

Airez Gallery – Thirteen of May Street, 778, Room 15 – Curitiba, PR.

How much:

Free entrance.

*Cocktail served from 8.30pm.

Agora é processo

Tem texto sobre o processo criativo da Obra em Progresso na (Z)AIRE, revista da Airez Galeria.

A narrativa de Ana Ferreira fala sobre a proposta do projeto e apresenta os pressupostos e póssupostos de Streaming, a performance que se deu pelo Facebook.

Dá um conferida que tá bem legal! 

Captura de Tela 2017-11-14 às 17.03.32

____

Now, it is process 

There is a text about the creative process of the Work in Progress in (Z)AIRE, the magazine of Gallery Airez.

Ana Ferreira’s narrative talks about the project proposal and reveals the assumptions and post-assumptions of Streaming, the performance that has happened on Facebook.

Check it out!

 

Agora é recepção

A Helena Carnieri escreveu para A Escotilha sobre Streaming, a performance que realizamos através do Facebook e que integra a Obra em Progresso.

Dá uma lida! 

___

Now, it’s reception

Helena Carnieri wrote for A Escotilha about Streaming, our performance on Facebook and part of the Work in Progress.

Check it out! 

 

 

Agora é Streaming

Streaming
Performance virtual de Ana Ferreira

Streaming é um evento público para que nos olhemos Face a Face num fluxo só. Um número aquático e urbano que passa e se esvai e #ocupa o espaço virtual com geolocalização incerta, incorreta e incontida. Apropriação, cópia, roubo, transformação, usucapião, distribuição gratuita e indiscriminada de uma autoexposição pervertida. Referência a Oxum, fragmento da Obra em Progresso e livremente inspirado, bebido e comido no Finnegans Wake de James Joyce.

Onde:
Página do Facebook da artista Ana Ferreira (basta adicioná-la).

Ou, página do Facebook do Agora Coletivo (basta curti-la).

Ou, página do Facebook da Airez Galeria (basta curti-la).

Quando:
25/out (quarta-feira) às 21h30.

(A performance se dará através do dispositivo “ao vivo” do Facebook e seu vídeo não ficará disponível depois).

____

Now, it’s Streaming 

Streaming – Virtual Performance by Ana Ferreira

Streaming is a public event so we can see each other Face to Face in one and the same flow. An aquatic and urban show that goes by and goes out and occupies (#occupy) the virtual space with uncertain, incorrect, and unconstrained geolocation. Appropriation, copy, stealing, transformation, usucaption, free and indiscriminate distribution of a perverted self-exposition. Reference to Oxum, fragment of the Work in Progress and freely inspired, drunk, and fed by James Joyce’s Finnegans Wake.

Where:

Facebook page of the artist Ana Ferreira (just add her).

Or, Facebook page of Collective Agora (just like it).

Or, Facebook page of Airez Gallery (just like it).

When:

October 25th (Wednesday) at 9:30 p.m (Brasília time).

(The performance will be on the “live” Facebook device and its video will not be available later.)

Agora é fala

Neste sábado, Ana Ferreira, integrante do Agora Coletivo, fala sobre espaço e dramaturgia junto à performer e coreógrafa Michelle Moura

É no evento do Núcleo de Dramaturgia do SESI/PR, que tem mediação de Henrique Saidel e acontece às 18h30 na Casa Heitor Stockler em Curitiba.

Venham, venham!

___

Now it’s speech

On Saturday, Ana Ferreira, member of the Collective Agora, speaks about space and text with the performer and choreographer Michelle Moura.

It’s at the event of Núcleo de Dramaturgia do SESI/PR, which has Henrique Saidel’s mediation and happens at 6:30pm at Casa Heitor Stockler in Curitiba.

Come, come!

Agora é a outra imagem

Olhem só essa obra do Guilherme Zawa.

Obra Guilherme

Chama-se Matemória #9 e é construída a partir de imagens da nossa peça Ensaio Para Uma Poética do Movimento.
Linda, não?
Lembram da outra que ele também fez com imagens da peça? Ta aqui.

____

Now, it is the other image

Check this work of Guilherme Zawa.

It’s called Matemória #9 and is made from pictures of our play Essay to a Poetics of the Movement.

Beautiful, isn’t it?

Do you remember the other one which he also made with pictures of the play? Here it is.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑