Cartografia funciona assim: você vai ao saguão do Teatro Guaíra (Curitiba-PR) levando o seu rádio FM e seu fone de ouvido. Só lá você vai conseguir sintonizar a nossa rádio, que emite ondas de curto alcance.

Aí você vai acompanhar uma narrativa em áudio enquanto é convidado a olhar para o espaço público através dos vidros.

O que se passa lá? A vida, a cidade, as pessoas ocupando o espaço conforme o modo que acreditam precisar dele, talvez uns artistas intervindo ali, talvez isso seja coisa da sua cabeça pois-o-povo-é-louco-mesmo-e-isso-super-acontece-o-tempo-todo, definitivamente uns artistas intervindo ali, definitivamente este povo é louco, definitivamente nada disso faz sentido, definitivamente as pessoas procuram sentido em tudo e ocupam os espaços conforme o sentido no qual acreditam, definitivamente o-que-se-passou-e-como-há-de-terminar, definitivamente?

Programe-se: apenas dias 20 e 21 de fevereiro (terça e quarta) às 15h e com entrada franca.

LEMBRE-SE DE LEVAR O SEU RÁDIO (pode ser um player ou mesmo seu celular se ele tiver captação de ondas FM).

O acontecimento integra a programação da Bienal Internacional de Curitiba em seu Circuito de Galerias. É um dos fragmentos da Obra em Progresso, projeto que dialoga com o livro Finnegans Wake de James Joyce e que já apresentou as performances Streaming (via Facebook) e Sobreposição (na Airez Galeria). Cartografia dá segmento à pesquisa de formas de relação com o espectador através de outras utilizações de espaços e dispositivos.

Concepção e criação: Ana Ferreira

Artistas infiltrados no espaço público: surpresa!

Artistas convidados para a narração em áudio: também!

Produção: Ana Rivelles

Foto de divulgação e arte gráfica: Guilherme Zawa

Realização: Agora Coletivo, Airez Galeria e Bienal Internacional de Curitiba.

Apoio: Centro Cultural Teatro Guaíra

___

Now how it works

Cartography works like this: you go to the lobby of Guaíra Theater (Curitiba-Brazil) taking your FM radio and your headset. Only there you will be able to tune our radio, which emits short-range waves.

There you will follow an audio narrative while you are invited to look at the public space through the windows.

What’s going on there? Life, the city, the people occupying the space according to the way they think they need it, maybe some artists intervening there, maybe that’s your head cause-people-is-crazy-and-that-happens-all-time, definitely some artists intervening there, definitely this people is crazy, definitely none of that makes sense, definitely people seek meaning in everything and occupy the spaces according to the sense in which they believe, definitely what-has-gone-and-how-it-ends definitely?”

Make your plans: only on February 20 and 21 (Tuesday and Wednesday) at 3:00 p.m. and with free admission.

REMEMBER TO TAKE YOUR RADIO (it can be a player or even your cell phone if it has FM wave pickup).

The event is part of the International Biennial of Curitiba in its Circuit de Galleries. It is one of the fragments of the Work in Progress, a project that dialogues with James Joyce’s Finnegans Wake and has already presented the performances Streaming (via Facebook) and Overlay (at Airez Gallery). Cartography gives segment to the research of forms of relation with the viewer through other uses of spaces and devices.

Conception and creation: Ana Ferreira

Artists infiltrated in public space: surprise!

Artists invited to audio narration: too!

Production: Ana Rivelles

Publicity photo and graphic art: Guilherme Zawa

Initiative: Agora Collective, Airez Gallery and International Biennial of Curitiba.

Support: Guaíra Theater Cultural Center

Anúncios